Maputo (auto)organização e forma-dinâmica urbana

29/10/2019

David Leite Viana

1ª ed. - Porto : Universidade do Porto, 2019

 

 

 

Este livro apresenta uma nova abordagem na análise morfológica – a metodologia Trac(k)ing – e estuda Maputo através da sua aplicação, com métodos qualitativos e quantitativos que descrevem a influência da configuração urbana na vida social. A apropriação é mapeada no continuum espacial, identificando padrões e tornando explícita a correlação entre relações espaciais, a perceção e os sistemas da capital moçambicana. É revelada a interdependência entre atividades, tecido urbano e malha viária em novas cartografias daquela cidade, traduzindo uma visão crítica do paradigma dominante no planeamento urbano. É indicado como combinar diferentes procedimentos no estudo da urbanização em Maputo considerando os contrastes socio-morfológicos que revela. Da questão central do livro — Como se ajustam instrumentos formais de análise urbana a processos informais de transformação da forma urbana? — resulta uma aproximação à morfologia urbana que a equaciona a partir da respetiva auto-organização e forma-dinâmica, expressas no diálogo entre estruturas planeadas e contextos de informalidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Linkedin
Please reload